• Correio Rondoniense

Quase 160 mil pessoas já foram abordadas nas barreiras sanitárias da Prefeitura de Vilhena

Em funcionamento há 80 dias, barreiras já determinaram mais de 700 quarentenas.


Com 80 dias de funcionamento, as barreiras sanitárias da Prefeitura de Vilhena, instaladas às margens da BR-364 na saída para Porto Velho, já abordaram cerca de 160 mil pessoas. Entre 1 mil e 3 mil pessoas são abordadas por dia no local, que fiscaliza os motoristas todos os dias com termômetros, bem como avalia sintomas, histórico de viagem, faz registros e dá orientações. Até mesmo escoltas da Polícia Militar foram solicitadas.

Profissionais de saúde atuam na linha de frente recomendando quarentena e identificando sintomáticos

De acordo com a coordenadora das barreiras, Leila dos Santos, os servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), até mesmo casos positivos foram identificados através do posto de parada, mas o foco da atividade é evitar que os contaminados espalhem ainda mais a doença pela cidade. “Quando um viajante suspeito chega na barreira, o primeiro passo é encaminhá-lo para uma unidade de saúde. Lá ele passa por consulta e pode receber já receita de remédios, atestado médico, encaminhamento para teste e recomendação para cumprir isolamento. É um controle que contribui para diminuir a disseminação do vírus na cidade”, ressalta a coordenadora Leila.


Até esta quinta-feira, 25 de junho, a barreira foi responsável por mais de 700 determinações de quarentena com acompanhamento da Atenção Básica para motoristas ou passageiros que vieram de outras cidades para ficar em Vilhena. Além disso mais de 30 sintomáticos foram encaminhados unidades de Saúde e cerca de 20 foram escoltados pela Polícia Militar durante seu trânsito no município por apresentarem sintomas.


Ajudam na fiscalizam o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar, servidores de várias secretarias da Prefeitura e do Estado, bem como outros órgãos de fiscalização que aproveitam o ponto de parada para campanhas de conscientização.

Ainda de acordo com Leila, durante as abordagens na barreira, os servidores usam o aparato completo de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como máscaras, faceshields (protetores faciais), luvas, aventais, toucas e outros. Além disso, a medição de temperatura dos viajantes é feita por um termômetro infravermelho, justamente para evitar qualquer contato do profissional de saúde com o condutor do veículo ou seus passageiros.

Afonso Emerick, secretário municipal de Saúde, explica que as barreiras cumpriram seu propósito de ajudar a secretaria na identificação dos casos “importados”, ou seja, aqueles oriundos de outras cidades.


“O fluxo de pessoas que entram na cidade é muito grande, então este registro que os servidores da Saúde fazem na barreira é muito importante. Além de conseguirmos mapear a disseminação da doença na cidade, conseguimos conscientizar milhares de pessoas para que sigam as medidas de prevenção contra a covid-19. A Secretaria Municipal de Saúde vem trabalhando incansavelmente, buscando estratégias de combater a doença na cidade. Peço a ajuda da população nessa luta contra o novo coronavírus”, afirma Emerick.


Fonte: Semcom

5 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Facebook Correio Rondoniense
  • Twitter Correio Rondoniense
  • Instagram Correio Rondoniense
  • Youtube Correio Rondoniense

© 2020 por Correio Rondoniense. Orgulhosamente criado por Influence Comunicação.

RONDONIENSE