• Correio Rondoniense

Prefeitura de Vilhena explica a forma de detecção de exames feitos pelo teste rápido

Em documento detalhado, Município revela pormenores dos diversos testes disponíveis na cidade.


A Secretaria Municipal de Comunicação de Vilhena enviou à imprensa uma nota, como um documento em que detalha os procedimentos e os tipos de exames para detecção da covid-19 que estão disponíveis no município.


Nesta quarta-feira (10) o Correio Rondoniense publicou uma matéria a respeita de um desabafo feito por empresário que publicou em uma rede social o teste rápido feito pela prefeitura, em que teria dado positivo para o novo coronavírus, e outro exame feito em um laboratório particular em que atesta que o paciente não está com a doença.


Além do empresário várias pessoas se manifestaram pelas redes sociais quanto a confiabilidade do teste rápido.


Conforme a nota da assessoria da prefeitura, alguns pacientes tem feito confusão sobre falsos positivos ou falsos negativos. A nota explicativa, descreve exemplos de retestagem, revela posicionamento do Governo do Estado sobre o tema e documentos do Governo Federal.


As informações foram apuradas pela Semcom em laboratórios privados do município, na Vigilância Epidemiológica da cidade, na Secretaria de Estado de Saúde, no Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária e nos sites dos próprios fabricantes dos testes.


A Prefeitura revela, assim, que os testes rápidos têm diferenças nas datas de aplicação, especialmente se comparados ao RT-PCR, de laboratório, feito pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) de Porto Velho. Alguns testes detectam o vírus (ou os anticorpos relacionados a eles) a partir de 3 dias do surgimento dos sintomas, outros 7 dias, ainda outros 9 dias e mais outros 10 dias. Portanto, ainda que o paciente faça, no mesmo dia, testes diferentes, os resultados poderão, sim, ser divergentes devido ao período de detecção mínimo de cada um. Tabeladas lado a lado no documento em anexo, essas diferenças deixam claro que é necessário entender qual a sensibilidade de cada teste antes de fazê-lo, no setor público ou no privado.


A Vigilância Epidemiológica explica ainda o que significam as expressões falso positivo e falso negativo dos testes rápidos aplicados no público em geral desde a semana passada no município.


O QUE É UM FALSO POSITIVO?

O falso positivo acontece quando o teste "acredita" que outros vírus no corpo da pessoa são o sars-cov-2 (que é o nome do vírus que causa a doença covid-19). Cada teste tem um grau diferente de especificidade (exatidão na identificação de QUAL vírus está no corpo da pessoa). Os que a Prefeitura está aplicando agora, da marca Realy Tech, têm especificidade de 99% e, portanto, pode gerar 100 falsos positivos a cada 10 mil testes. No entanto, estes que estão "falsamente positivados" têm outros vírus da família coronavírus.


Até agora, existem 7 tipos de coronavírus humano (HCoV) que causam doenças respiratórias humanas: HCoV-229E, HCoV-OC43, SARS-CoV, HCoV-NL63, HCoV-HKU1, MERS-CoV e novos coronavírus (2019). Portanto, de qualquer forma, pacientes com falso positivo poderão receber recomendações do médico que os consultar para ficar em isolamento domiciliar/quarentena devido aos sintomas respiratórios.


O QUE É UM FALSO NEGATIVO?

O falso negativo é quando o teste não consegue identificar o vírus no sangue da pessoa pois há pouca quantidade de sars-cov-2 na corrente sanguínea do paciente no momento do exame. Cada teste tem um grau diferente de sensibilidade (que é QUANTIDADE mínima de vírus a partir da qual o teste é capaz de "enxergar" o sars-cov-2 no sangue). Os que a Prefeitura está aplicando agora, da marca Realy Tech, têm sensibilidade de 98% e podem gerar 200 falsos negativos para cada 10 mil testes. No entanto, boa parte destes que estão sintomáticos e testam negativo recebem, mesmo assim, recomendação de isolamento e quarentena pelo médico, que faz a análise clínica (dos sintomas) na consulta.


DIAGNÓSTICO OFICIAL - A explicação demonstra também que o Governo Federal considera que a definição de caso confirmado para covid-19 pode ser atestada através de testes rápidos imunológicos com resultado positivo para anticorpos IgM e/ou IgG, exatamente como os que estão sendo aplicados pela Prefeitura de Vilhena.


Além disso, a análise clínica (dos sintomas) pelo médico na hora da consulta do paciente suspeito também tem peso importante no diagnóstico, visto que aqueles que apresentem sintomas respiratórios já têm, há meses, recomendação do Ministério da Saúde de permanecerem em isolamento/quarentena, independente de estarem ou não contaminados.


Para ter acesso ao documento explicativo, basta clicar no link para baixar.

Nota Explicativa - Testes para Covid-19
Download • 12.80MB



*Com informações da Semcom

70 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Facebook Correio Rondoniense
  • Twitter Correio Rondoniense
  • Instagram Correio Rondoniense
  • Youtube Correio Rondoniense

© 2020 por Correio Rondoniense. Orgulhosamente criado por Influence Comunicação.

RONDONIENSE