• Correio Rondoniense

Bolsonaro faz exame após apresentar sintomas de covid-19

Agenda da semana de Bolsonaro foi cancelada; resultado do teste deve ser divulgado nesta terça-feira (07).


Após apresentar febre e taxa de oxigenação de 96%, o presidente Jair Bolsonaro fez um exame para checar se está com covid-19 nesta segunda-feira. Com isso, os compromissos da semana de Bolsonaro foram cancelados. O resultado do teste deve ser divulgado nesta terça-feira.


A informação foi divulgada pelos jornais O Globo, O Estado de S. Paulo e pela rede de televisão CNN.


“O presidente Jair Bolsonaro realizou na noite de hoje, 6, teste de covid-19 em hospital de Brasília. O resultado sairá nesta terça-feira, 7. O presidente apresenta, nesse momento, bom estado de saúde e está em sua residência”, afirmou a Secretaria Especial de Comunicação, em nota.


As declarações de Bolsonaro sobre seu estado de saúde foram divulgadas em vídeo publicado no canal Foco do Brasil, no YouTube, mantido por apoiadores de Bolsonaro. O presidente, que estava de máscara, conversou por alguns instantes com os apoiadores, mas alertou que estava “evitando” porque havia chegado do hospital.


Em maio, o presidente foi obrigado pelo STF a divulgar o resultado de dois exames de covid-19 que tinha feito no mês de março. Na época, os dois testes deram negativo.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, Bolsonaro disse a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada que, apesar de ter sintomas, “está tudo bem”.


“Eu vim agora do hospital, fiz uma ‘chapa’ de pulmão. Tá tudo limpo. Fiz exame do covid agora há pouco, mas tá tudo bem”, afirmou ele. “Não pode chegar muito perto não, tá. Recomendação para todo mundo.”


Ainda de acordo com o jornal, o presidente usava máscara durante a conversa e pediu que as pessoas não chegassem perto dele. Mais cedo, ele disse à CNN que está tomando hidroxicloroquina.


Segundo a agenda oficial, o presidente despachou durante todo o dia e esteve com seis ministros. Ele teve reuniões com os ministros Paulo Guedes (Economia), Braga Netto (Casa Civil), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Levi Mello (Advocacia-Geral da União).


A última agenda ocorreu às 16h40 com o secretário especial de Cultura, Mário Frias. Às 17h, houve a cerimônia de apresentação do Plano de Contingência para Pessoas com Deficiência e Doenças Raras com a ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, mas o presidente não participou. Ele deixou o Planalto por volta das 17h40 e seguiu para o hospital.


Bolsonaro já chamou a covid-19 de “gripezinha”. No fim de março, o presidente disse em pronunciamento que tinha “histórico de atleta” e, por isso, não precisaria se preocupar com as consequências de pegar o coronavírus.


Fonte: Exame

11 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Facebook Correio Rondoniense
  • Twitter Correio Rondoniense
  • Instagram Correio Rondoniense
  • Youtube Correio Rondoniense

© 2020 por Correio Rondoniense. Orgulhosamente criado por Influence Comunicação.

RONDONIENSE