• Correio Rondoniense

Autoridades debatem soluções para a reabertura do aeroporto de Vilhena, obras começam em julho

Reunião com representantes locais e estaduais traça metas para viabilizar recursos e projetos para reformas do aeroporto.

Reunião com diversas autoridades municipais e estaduais realizada nesta quinta-feira, 25, tratou sobre as reformas necessárias para a volta do funcionamento do Aeroporto Brigadeiro Camarão. Dentre eles, o principal foi o debate sobre projeto para a construção de cerca operacional, que atualmente passa por revisões após relatório da Secretaria de Aviação Civil (SAC). Parlamentares do Estado se comprometeram em buscar o recurso para realização das obras e soluções para problemas menores, porém importantes.


O secretário de Turismo, Indústria e Comércio da Prefeitura de Vilhena, Marcondes Cerrutti, participou da reunião e ressaltou a importância para o Estado e para a cidade do aeroporto. “A responsabilidade e gestão do aeroporto é do Estado, através do Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER). Mesmo assim, estamos sempre empenhados em tratativas com o Estado para a solução dos problemas. Vilhena é uma cidade que está em franca ascensão, com exportações batendo mais de um bilhão por ano responsável por 26% das exportações do estado de Rondônia. Precisamos de investimento no aeroporto, pois deixamos de receber novos investidores e também pessoas envolvidas na cadeia do agronegócio, setor este que apresenta forte expansão”, relata.


Também da Prefeitura participou do encontro o secretário municipal de Planejamento, Ricardo Zancan. Na comitiva estadual estavam o vice-governador Zé Jodan juntamente com os deputados Luizinho Goebel e Rosângela Donadon, bem como Elias Rezende, diretor do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), responsável pelo aeroporto. Autoridades locais, como o vereador Ronildo Macedo, presidente da Câmara, o secretário regional do Estado, Nilton Cordeiro, além dos representantes da cooperativa de crédito Sicoob Credisul Ivan Capra e Vilmar Saúgo, e o representante da Aciv (Associação Comercial e Empresarial de Vilhena), Rafael Oliveira. No local, entre outros, compareceram ainda representantes da Azul Linhas Aéreas e da Aucon, empresa que faz a administração do aeroporto.


OS DESAFIOS

No encontro foram apontados três pendências para que as operações de voo voltem a acontecer no aeroporto local, sendo: (1) construção da cerca operacional, com o padrão da ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional), (2) melhoria no piso do estacionamento das aeronaves e (3) melhoria do balizamento da pista de pouso e decolagem.


Elias Rezende, diretor do DER, destaca que valor do projeto da cerca com mureta e arame trançado envolvendo toda a área do aeroporto gira em torno de R$ 1,4 milhão. “Vamos ter que agilizar as pendências no projeto e consequentemente conseguir aprovação deste, que encontra-se na SAC (Secretaria de Aviação Civil), do Ministério de Infraestrutura. A Azul afirma que a cerca operacional é fundamental para o retorno dos voos”, aponta Elias.


AS SOLUÇÕES

O projeto para a instalação da cerca operacional ICAO, foi protocolado na SAC em outubro de 2019. Em março deste ano a SAC devolveu o projeto para o DER com duas pendências, sendo as mesmas solucionadas na sequência. Reenviado à Secretaria, o projeto foi devolvido em maio, com novos pedidos de adequações, que estão sendo solucionadas pela equipe de engenharia do DER para novo encaminhamento ao Ministério.


De acordo com Marcondes, a projeto da cerca é o principal problema a ser resolvido no local. “Após a aprovação do projeto e as obras sendo concluídas, os voos retornarão. Sobre as demais obras, como a da reforma do pátio, o DER iniciará as obras na primeira semana de julho. Unindo forças faremos nosso aeroporto a cumprir as normas de segurança e voltar a ser operacional”, conclui.


Os deputados Luizinho Goebel e Rosângela Donadon, juntamente com o vice-governador do Zé Jodan, delimitaram que uma pessoa seja nomeada no DER apenas para trabalhar nestes problemas do aeroporto e que este imbróglio seja resolvido. As autoridades destacaram que sete municípios do Cone Sul, além de municípios do Mato Grosso, dependem do aeroporto e estarão empenhados para trazer o recurso para Vilhena o mais breve possível.


O secretário de planejamento Ricardo Zancan, aponta que novos projetos para a melhoria do aeroporto, como o do alargamento das pistas, equipamentos de navegação aérea e a construção de um novo terminal de embarque estão no planejamento “Há fundos que são destinados pelas companhias aéreas para o investimento em aeroportos que poderemos acessar. Pedimos ajuda do DER e do Governo para que elaboremos juntos os projetos a fim de conseguir recursos para melhorar a capacidade do nosso aeroporto”, destaca Ricardo.


ATIVIDADES PARALISADAS

Os aeroportos de Vilhena, Cacoal e Ji-Paraná tiveram a suspensão de voos em 23 de março, devido à pandemia da covid-19. Portanto para o retorno dos voos, a Azul exige a construção da Cerca Operacional que tem têm por finalidade evitar que animais invadam a pista, comprometendo a segurança na autorização de pousos e decolagens.


Fonte: Semcom

16 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Facebook Correio Rondoniense
  • Twitter Correio Rondoniense
  • Instagram Correio Rondoniense
  • Youtube Correio Rondoniense

© 2020 por Correio Rondoniense. Orgulhosamente criado por Influence Comunicação.

RONDONIENSE